maturidade da gestão

Maturidade da Gestão: como alcançar níveis ideais na sua empresa e quais são as vantagens

Todos sabem que maturidade e idade são coisas bem diferentes. É claro que experiências nos tornam mais maduros, mas isso não quer dizer que alguém jovem não possa ser muito mais madura do que alguém de mais idade. O mesmo acontece nas empresas.

A maturidade não tem que ver apenas com o tempo de vida do empreendimento, com a margem de lucro em cada transação ou com o número de clientes. Significa o quanto uma empresa consegue aprender em cada relação — seja com seus parceiros ou com o mercado em geral.

Com um alto nível de Maturidade de Gestão, a empresa consegue lucrar mais e se destacar no mercado perante a concorrência. Contudo, para alcançar isso, é preciso que a empresa saiba, primeiramente, o que é Maturidade de Gestão, seus níveis, suas vantagens, em qual nível a empresa se encontra e como avançar nesse processo.

Foi pensando nisso que nós, preparamos este conteúdo. Acompanhe!

O que é Maturidade de Gestão

Uma das definições de maturidade, pelo dicionário, é “o estado das pessoas ou das coisas que atingiram completo desenvolvimento”. Gestão, por sua vez, refere-se ao ato ou efeito de gerir e administrar. Assim, podemos concluir que Maturidade de Gestão é quando a administração está em completo desenvolvimento.

No contexto empresarial, Maturidade de Gestão é a forma como o negócio está conduzindo suas ações, e se elas estão desempenhando de forma correta as metas estipuladas. Apesar do conceito do dicionário, não é sobre a empresa atingir “completo desenvolvimento”, mas sim sobre a situação presente em que se encontra a gestão e o desenvolvimento das competências necessárias para mudanças positivas.

Até porque uma empresa que estagnar, achando que já está madura o suficiente, demonstra o contrário: total imaturidade. Isso porque os desafios do mercado mudam todos os dias, logo, é preciso questionar e atualizar o modo de gerir constantemente. Empresas com um nível de maturidade de gestão elevado conseguem lidar melhor com os desafios do mercado por possuírem recursos adquiridos a partir desse desenvolvimento.

Portanto, por se referir ao momento atual em que a empresa se encontra, o conceito de Maturidade de Gestão reúne, ainda, um grupo de sistemas e etapas, com objetivo de promover a orientação de processos organizacionais a fim de obter uma evolução contínua na gestão. O foco é sempre avaliar a progressão em cada estágio da maturidade. Isso é fundamental para determinar práticas capazes de desenvolver, organizar e consolidar formas de melhorar a gestão de um negócio.

É importante destacar que tal metodologia tem como base diferentes estágios ou níveis. Tais etapas reforçam as competências necessárias para alcançar os resultados de forma rápida, constante e eficaz.

Contudo, uma empresa madura nem sempre possui uma gestão madura. Apesar de muitas pessoas confundirem os conceitos, Maturidade Empresarial é bem diferente de Maturidade de Gestão. Veja a seguir.

Maturidade Empresarial X Maturidade da Gestão

Como já falamos, uma empresa antiga no mercado, com muitas experiências, pode até ser uma empresa madura, mas isso não quer dizer que a gestão dela também seja. Por isso, Maturidade Empresarial e Maturidade de Gestão são coisas diferentes. Confira:

A Maturidade Empresarial tem a ver mais com o tempo de empresa no mercado, e, consequentemente, com as experiências pelas quais a empresa já passou. Podemos englobar as empresas, conforme a Maturidade Empresarial, em quatro níveis.

  1. Startups ou em estágio inicial

São empresas que estão no estágio inicial e, por isso, ainda têm as contas muito associadas às finanças dos fundadores. A startup tem uma visão mais imediata, com ações que precisam se converter o mais rápido possível em dinheiro para manter o negócio ativo. Suas prioridades consistem em sobreviver e atrair pessoas talentosas, que possam contribuir para o crescimento do negócio. Muitas vezes, os recursos financeiros são provenientes de linhas de crédito de bancos comerciais ou de investidores-anjo.

  1. Empresas emergentes ou em fase de inovação e crescimento

Diferentemente da startup, uma empresa emergente é mais sólida no mercado e possui mais recursos financeiros para atuar. Todavia, suas ações ainda têm um foco no curto prazo, pois não possuem capital suficiente para financiar projetos de médio ou longo prazo. Sua prioridade está no desenvolvimento do negócio em geral, incluindo os processos e produtos ou serviços oferecidos. Também tem como objetivo atrair e reter pessoas que possam contribuir para o seu crescimento no mercado.

  1. Empresas em expansão ou estabelecidas

As empresas deste nível estão em uma etapa mais avançada e já têm suas finanças separadas das finanças dos fundadores. Elas se preocupam mais com a elaboração de códigos de conduta e a otimização dos processos, visando dar mais transparência e rapidez a todas as atividades diárias. A visão está no médio prazo, possibilitando à empresa mais estabilidade e conforto para agir. Seus investimentos não contemplam apenas as atividades de fim, mas também as áreas de suporte, como RH, Marketing e TI.

  1. Empresas maduras

Dentro da Maturidade Empresarial, esse é o estágio mais elevado. Uma empresa madura tem uma estrutura funcional mais complexa e demanda uma visão de longo prazo, com investimentos no planejamento e desenvolvimento de novos produtos e serviços, por exemplo. Nesse nível, a empresa se preocupa mais com a gestão de riscos, auditorias internas, inovação nos produtos e processos, criação de um conselho administrativo, planejamento estratégico e tudo mais que torne a marca mais sólida e desejada.

A Maturidade de Gestão, por sua vez, é mais ampla. A Maturidade Empresarial está dentro da Maturidade de Gestão. Refere-se à capacidade de conhecer toda a realidade do empreendimento, corrigindo constantemente os erros e potencializando os acertos.

Tem a ver, como o próprio nome sugere, com o modo de gerir a empresa e as pessoas envolvidas em todos os processos. É quando uma empresa possui líderes e gestores capazes de identificar a melhor forma de administrar e conduzir as equipes e as demandas do empreendimento, bem como os problemas que podem surgir.

Aqui, não vamos tratar da maturidade que se refere à idade, ao tempo da empresa no mercado. Vamos falar sobre a maturidade que está diretamente relacionada a conhecer a realidade do empreendimento e, assim, conseguir atingir os resultados. Portanto, é sobre Maturidade de Gestão que vamos falar neste conteúdo.

Níveis de Maturidade da Gestão

Antes de saber como alcançar um alto índice de Maturidade de Gestão, a empresa precisa avaliar em que nível ela se encontra e quais são as competências necessárias para atingir as metas estipuladas. Vamos ver quais são esses níveis a seguir.

  • Nível 1 – Pouca ou nenhuma consciência de gestão

Nesse nível, a equipe não tem consciência da importância da maturidade de gestão para o crescimento e o sucesso da empresa. Não existe um planejamento organizacional com os funcionários e cada pessoa trabalha da maneira como acha que deve ser, sem estratégia alguma.

O nível 1 também é marcado por uma série de gargalos, já que a empresa não conta com processos bem definidos. Os processos até existem, mas pertencem aos colaboradores, não à marca propriamente dita.

Nesse sentido, e-mails e mensagens por aplicativo são os meios escolhidos para a troca de informações. Entre outras consequências, há um alto índice de retrabalho, ausência de informações completas para a execução das tarefas, atrasos nas entregas e nos processos de cobrança e pagamentos. Há uma alta rotatividade e baixa produtividade.

A falta de processos bem estruturados se reflete na liderança, que, por não acompanhar o andamento dos processos a fundo, encontra dificuldades em entender onde estão os gargalos.

  • Nível 2 – Elementos de gestão sendo aplicados isoladamente

No nível 2, existem alguns indícios de gestão de mudança, porém eles são aplicados apenas em alguns momentos e de forma isolada, sem uma integração dos setores da empresa. São muitas ações distintas desenvolvidas de forma inconsistente.

  • Nível 3 – Processos mais estruturados

Nesse nível, já é possível observar um desenvolvimento de gestão de maturidade mais estruturado, mas ainda assim é visto apenas em algumas partes da empresa. São utilizadas diversas metodologias e troca de informações e conhecimento entre equipes.

  • Nível 4 – Normas são implementadas para gerenciar a mudança

No nível 4, a empresa dá um passo à frente e finalmente consegue monitorar as tarefas, propor melhorias e identificar gargalos e atrasos. Passa a utilizar normas e métodos mais eficazes e com ferramentas adequadas para a gestão de maturidade proposta. Aqui já existe um conhecimento de toda a equipe sobre as ações a serem utilizadas e a importância delas para o sucesso da organização.

  • Nível 5 – Competência de gestão de mudanças

Aqui as organizações já possuem um objetivo estratégico bem claro, com total conhecimento da equipe e o que cada uma precisa desempenhar para alcançar as metas estipuladas. Em todas as partes da empresa, é possível observar uma comunicação fluida, as ações para uma gestão de mudanças, e os setores trabalhando de forma integrada.

O fluxo de trabalho segue o caminho desenhado pelos gestores. Por conta dessa Maturidade de Gestão, uma ferramenta é fundamental para amparar as tomadas de decisão e fazer com que elas sejam baseadas em dados seguros. Afinal, agora que os processos começam a ser seguidos, o próximo passo é sempre mantê-los atualizados e otimizá-los. Uma empresa nesse nível já tem vantagem competitiva no mercado e maior rentabilidade.

Vantagens

Ao analisar os níveis de Maturidade de Gestão, já foi possível perceber algumas vantagens de se estar em um nível alto. Outros benefícios que podemos citar de ser uma empresa madura no mercado são:

  • saber aproveitar melhor as oportunidades do mercado;
  • prevenir-se das ameaças que existem;
  • otimizar forças e minimizar fraquezas com mais rapidez;
  • pensar no curto, médio e longo prazo com mais equilíbrio;
  • ser capaz de inovar para manter sua marca sólida por muitos anos;
  • criar boas relações com seus clientes, funcionários, fornecedores e investidores;
  • aumentar seus lucros sobre cada transação.

Agora que você já sabe o que é, os níveis e as vantagens da Maturidade de Gestão, vamos descobrir como identificar o nível em que sua empresa se encontra.

Como avaliar a Maturidade de Gestão da sua empresa

Identificar o nível de Maturidade de Gestão da sua empresa é essencial para entender os seus pontos fortes e fracos e criar um plano de ação para solucionar os desafios de forma eficiente.

Alguns pontos são fundamentais para avaliar qual é o grau de maturidade de gestão de uma empresa. Planejamentos inteligentes e uma análise constante do índice de gestão são os principais trajetos a serem seguidos para conquistar o sucesso. Todavia, para que tudo isso aconteça, é fundamental estipular metas e avaliar em que estágio estão os indicadores como:

  • Clima organizacional;
  • Índice de rotatividade;
  • Taxa de conversão;
  • Faturamento;
  • Lucratividade;
  • Endividamento;
  • Retorno sobre o investimento.

Por meio desses indicadores de desempenho da empresa, é possível analisar o índice de gestão, se os resultados estão favoráveis ao cenário atual do mercado e, assim, estruturar estratégias que direcionem a Maturidade de Gestão de forma precisa.

É de suma importante avaliar o nível de maturidade de gestão constantemente. Após cada avaliação, faça as seguintes perguntas:

  • Estamos atingindo as metas estipuladas?
  • Os recursos estratégicos utilizados são eficazes?
  • Existem gargalos? Quais são?
  • Como está o nível de desempenho do trabalho?

Após identificar o nível em que sua empresa se encontra, você provavelmente vai querer evoluir, para se tornar uma empresa madura, independentemente do tempo de mercado, e com competência de gestão de mudanças. Por isso, vamos ver a seguir como desenvolver a Maturidade de Gestão na sua empresa.

Como desenvolver Maturidade da Gestão

Para atingir um alto nível de Maturidade de Gestão, é preciso avaliar principalmente como está o controle da sua gerência, a produtividade da empresa e as tomadas de decisão.

  • Implementar controle

Tudo começa no controle, e o primeiro passo para alcançá-lo é fazer um mapeamento e criar os processos de negócios, aliados ao processo sistêmico. Para isso, é preciso utilizar um bom sistema de gestão empresarial. É extremamente necessário controlar tudo: os gastos, os estoques, as vendas e os lucros. Não adianta ter um estoque imenso se não conseguir controlar.

A falta de controle gera perdas e desvios, o que significa prejuízo. Tendo isso em vista, é preciso ter controle em um fluxo de caixa, para saber quando irá faltar ou sobrar dinheiro, e o ponto de equilíbrio.

  • Aumentar a produtividade

Com os controles implementados, é chegada a hora de automatizar o máximo possível os processos de negócio, para ganhar agilidade e aumentar a produtividade dos colaboradores. É isso que torna a empresa competitiva e possível de se destacar no mercado.

Para otimizar esse nível de Maturidade de Gestão, é preciso achar solução para alguns questionamentos, tais como:

  • Como eu posso cadastrar um cliente mais rápido?
  • Como eu posso atender uma demanda com rapidez e ganhar velocidade na entrega?
  • Como eu consigo fazer um pedido mais rápido aos meus fornecedores (se houver)?
  • Como eu consigo mais velocidade para receber ou pagar contas?

Ao aumentar a sua produtividade, uma empresa consegue sair à frente da concorrência. Tempo, no mundo dos negócios, significa dinheiro.

  • Tomar decisões assertivas

Por fim, após aumentar a produtividade, a empresa precisa aprender a ser assertiva nas decisões. Para isso, é preciso que elas sejam baseadas em números, informações e fatos.

De nada adianta ter uma informação se ela não estiver correta, porque, consequentemente, a tomada de decisão será equivocada. Para uma empresa conseguir atingir este nível de Maturidade de Gestão, ela precisa principalmente implementar os controles necessários, ter as automações necessárias para ganho de produtividade e seus processos de negócios e sistêmicos mapeados e implantados.

Se não houver controle, não será possível ter informações precisas. Sem informações precisas, não há como haver decisões assertivas. Para isso, existem ferramentas tecnológicas que nos permitem montar todo tipo de visões gerenciais, bem como indicadores chave de gestão e KPIs (Key Performance Indicators) para a tomada de decisões em nosso dia-a-dia.

O Scoreplan é o sistema mais completo do mercado. Nele, estão embarcadas metodologias ágeis e tradicionais, e ferramentas globalmente difundidas. Com ele, é possível não somente criar indicadores, definindo métricas e metas, como também vincular os indicadores aos objetivos estratégicos, assim como nos planos de ações e projetos. Além disso, a atualização dos indicadores acontece de forma automática e instantânea. Assim, não é necessário ficar aguardando os indicadores estarem prontos para poder avaliá-los e tomar uma decisão rápida e assertiva.


Nenhum nível é mais importante do que o outro. Para ganhar produtividade, é preciso ter implementado processos que estão na fase de controle e o resultado destes dois níveis trará dados e informações coerentes e concretas para que tomar as decisões assertivas.

O grande segredo para alcançar a maturidade, seja na vida pessoal ou profissional, é não pular fases de aprendizados e experiências. Com as empresas não é diferente. Para alcançar a Maturidade de Gestão é preciso passar por cada etapa, transformando cada uma delas em bons resultados.

Que tal aproveitar a oportunidade para pedir uma demonstração do Scoreplan e saber mais sobre a nossas solução para a gestão da sua empresa?

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.