Qual é o valor do planejamento estratégico nas empresas modernas

Atualmente muitas

Atualmente muitas empresas e gestores já reconhecem o valor do Planejamento Estratégico, e por isso dedicam uma parcela do seu tempo para elaboração e manutenção do mesmo.

Mas, há também muitas empresas e gestores que consideram o planejamento estratégico um desperdício de tempo e esforço. Este modo de pensar acabou sendo reforçado por um contexto de mercado ainda mais volátil e incerto (Covid e Pós-covid).

Além disso, o advento das metodologias ágeis fez com que se criasse a ideia, errada, de que o planejamento estratégico é, e precisa ser, lento e moroso e não faz mais sentido nas empresas modernas.

Afinal então, qual é o valor do planejamento estratégico nas empresas modernas e no novo contexto de mercado?

Continue lendo para entender.

O que é e para que serve, afinal, um planejamento estratégico

A prática se originou na década de 1960 como uma forma de combinar planejamento de longo prazo e execução de curto prazo. O processo geralmente envolve um grupo central de planejadores, composto por gestores, que realizavam as seguintes etapas:

  • Estabelecer uma visão de futuro, considerando sempre a missão da empresa. Onde a organização quer chegar? (e em quanto tempo); por exemplo: “ser o sistema de planejamento estratégico número do Brasil até 2022”.
  • Identificar forças e fraquezas e avaliar o ambiente externo para identificar oportunidades e ameaças.
  • Definir objetivos. Transformar a visão em objetivos específicos que, juntos, façam com que seja possível conquistar a Visão; por exemplo: “aumentar o market share em x%”, “aumentar o LTV (Life Time Value) em x%” e etc,
  • Ações. Identificar o que precisa ser feito no presente, pelos indivíduos e equipes, para que os objetivos sejam atingidos.
  • Definir Metas e Indicadores. Para que seja possível medir a eficácia do que está sendo executado e se possa fazer correções quando necessário.

Em suma, o objetivo básico do planejamento estratégico é vincular as decisões e atividades organizacionais diárias com a visão de futuro da empresa.

Como a tecnologia aumentou o valor do planejamento estratégico

Na década de 1980, muitos especialistas em gestão já questionavam se o modelo tradicional de planejamento estratégico era adequado a um ambiente no qual a  necessidade de mudança parecia ser constante (e era), dado o fluxo interminável de novas tecnologias que iam chegando.

A conclusão na época foi mais ou menos a seguinte:

  • É impossível prever o futuro. A mudança é contínua e imprevisível e o planejamento deve refletir isso.
  • O planejamento agora envolve o processo de identificação de novas tendências, formas de capitalizá-las e, a busca por recursos para que seja possível fazer isto em tempo hábil.
  • O papel da alta gestão é apoiar e desenvolver as ideias de líderes intermediários (coordenadores, supervisores, líderes de equipe…) e funcionários da linha de frente (vendas) porque eles estão em uma posição mais favorável no sentido de saber o que o cliente quer e, de identificar as últimas tendências de mercado.
  • Como os eventos inesperados são agora a “norma”, as organizações devem aprender a responder prontamente, o que exige flexibilidade e criatividade.

 

O ritmo acelerado do mundo moderno aumentou o valor do planejamento estratégico

O ritmo acelerado do mundo moderno aumentou o valor do planejamento estratégico

Há muitas evidências que demonstram que o planejamento estratégico é um processo que vale a pena, independentemente do contexto de mercado –  inclusive, em muitos casos, sua necessidade se torna ainda mais latente.

Recentemente conversamos com o Tiago Fernando de Azevedo, o jovem CEO da Tertech – uma empresa especializada na fabricação de quadros de comandos e painéis modulares que comemorou dez anos em 2020. Apesar de contar com uma equipe enxuta ainda, a Tertech, que é nossa cliente, sempre surpreendeu pelo crescimento constante e regular – mesmo durante a crise provocada pela pandemia. Resultado que é consequência do modelo de gestão adotado pela empresa.

Sobre “Um Aprendizado”, o Tiago disse: “Precisamos levar muito a sério a construção do Planejamento Estratégico das nossas empresas; considerando todas as fraquezas e ameaças com profundidade de análise e gerando planos de ação a partir disso. Temos a obrigação de estar preparados para enfrentar qualquer crise que possa vir pela frente, no entanto, estas devem estar previstas em nossas ameaças.”

Há uma série de estudos que apontam para uma relação clara entre planejamento estratégico e bons resultados financeiros na empresa.

Logo, não é necessário, e nem prudente, em pleno 2020, se prender a determinados padrões e crenças; o método de planejamento estratégico ideal para a empresa é aquele que funciona. O planejamento estratégico continua sendo imprescindível. Sua abordagem; elaboração e gestão, é que deve se adaptar aos novos cenários.

BSC, OKR, Gestão por Diretrizes, Planejamento Estratégico Ágil… qual a metodologia ideal? Aquela que funciona. Se nenhuma funciona; estude e teste até encontrar uma que faça isso, personalize alguma que já existe, crie seu próprio modelo… só não deixe de planejar.

Qual é o valor do planejamento estratégico na sua empresa? O que você achou da reflexão que trouxemos neste texto? Deixe seu comentário!