4 erros que fazem o seu planejamento estratégico fracassar

Considerando que segundo o  SEBRAE, no Brasil a causa número 1 para o fechamento das empresas é a falta de Planejamento; fazer planejamento estratégico assume papel de necessidade e não mais de opção. Parte essencial da gestão, o Planejamento Estratégico serve como bússola na hora de conduzir ações visando a melhoria de performance da empresa.

Também é por meio do planejamento que se tem uma gestão mais eficaz sobre os resultados, por isso, é fundamental que ele seja arquitetado de forma minuciosa. É nesse ponto que muitos gestores erram, já que planejar é, antes de tudo, uma forma de antecipar riscos e de balizar lideranças em suas decisões.

Enumeramos neste artigo 4 motivos que, somados ou individualmente, podem levar a empresa a naufragar e não ter êxito no seu planejamento. Fique atento para não cometê-los!

4 motivos que levam ao fracasso do planejamento estratégico

É comum que surjam riscos e ameaças externas que não foram previstos no planejamento estratégico, por mais assertivos e cuidadosos que sejamos o futuro é sempre uma caixinha de surpresas. Sendo assim é importante ter o planejamento, não como uma referência engessada e imutável, mas como um direcionador.

Em outras palavras, use-o para se orientar, sem perder de vista que empreender, em alguns momentos, significa assumir riscos e lidar com o imponderável. Dito isso, vamos então conhecer os 4 erros que fazem o planejamento perder sua eficácia em curto, médio e longo prazo.

1. Falta de análise de dados

A transformação digital está a todo vapor e, nela, as empresas passaram a se pautar pela coleta e análise sistemática de dados, conforme o conceito de Big Data. No planejamento estratégico, usar desses dados é a chave para o sucesso, portanto, deixar de utilizá-los para referenciar suas metas é um tremendo erro.

2. Não considerar as variáveis externas

As empresas são parte de um ecossistema robusto composto e influenciado indiretamente por inúmeras variáveis e outros organismos; clientes, fornecedores, concorrentes, governo, legislação específica, tributações, sociedade e etc. Sendo assim, é improvável obter sucesso no Planejamento sem considerar todos esses fatores externos. Por exemplo; de que adianta criar um produto novo que o cliente não quer comprar?

Quando se baseia em dados, a empresa se coloca em condições melhores de avaliar essas oportunidades e ameaças a partir do contexto em que está inserida.

3. Não considerar dados e metas anteriores

“Quem não mede, não gerencia”. A conhecida frase do guru William Deming cai como uma luva, porque dá a exata medida do erro em não se orientar pela análise de dados. Esses dados, por sua vez, têm origem nos registros passados da empresa. Documentos contábeis, fluxo de caixa e tudo que possa servir como parâmetro deve ser usado.

4. Abrir mão da tecnologia

Dependendo do tamanho e da complexidade do seu negócio, investir em um sistema especializado é fator chave de sucesso. Quando o volume de ações, projetos, indicadores e pessoas envolvidas no planejamento, e até na execução do planejado, é grande; a chance de ocorrerem desvios, erros e esquecimentos utilizando planilhas e documentos manuais é enorme.

Também há a questão do tempo; quanto tempo as pessoas levam, e a empresa “perde”, coletando dados – possivelmente incorretos – em planilhas, documentos e sistemas de apoio operacional para conseguir ter as informações necessárias para a tomada de decisão? Essa reflexão é crucial para entender o quanto é necessário o uso de um sistema especializado.

Enfim, ficamos por aqui esperando que tenha ficado claro para você a importância de se evitar os erros mais frequentes na hora de montar e gerenciar o planejamento estratégico. Fique de olho, afinal, é o futuro da sua empresa que pode estar em jogo!

Tem algum exemplo que gostaria de acrescentar ou algum erro que acha importante e que não foi destacado? Deixe um comentário e enriqueça o debate!