Gestão do conhecimento: o que é, qual a importância e como aplicar?

Aplicar a gestão do conhecimento nos negócios é tão importante quanto cuidar do fluxo de caixa e de outros KPIs.

Segundo a pesquisa The State of Knowledge Management 2019, tudo indica que as empresas já despertaram para isso. Afinal, entre 2018 e 2019, o salto nas organizações que tinham algum programa de Knowledge Management (KM) foi de 12 pontos percentuais, passando de 24% para 36%.

E na sua empresa, que cuidados são dispensados para esse ativo tão valioso?

Lembre-se: conhecimento nunca é demais e não ocupa espaço.

Veja na sequência como utilizá-lo da melhor forma!

Afinal, o que é e qual a importância da gestão de conhecimento?

Gestão de conhecimento consiste em técnicas, processos e ferramentas pelas quais uma empresa se habilita a avançar.

Vale resgatar a célebre frase de Isaac Newton: “Se enxerguei longe, foi porque me apoiei nos ombros de gigantes.”, para ressaltar a importância desse tipo de gestão.

Hoje, com a expansão do Big Data e de conceitos como Internet das Coisas (IoT), Machine Learning e Inteligência Artificial, a quantidade de “ombros” nunca foi tão grande.

É para dar conta do uso correto das fontes de informação e do seu direcionamento que serve a gestão do conhecimento.

Por isso, ela tem importância estratégica, uma vez que toda empresa precisa de um corpo técnico e operacional capacitado para levar adiante suas atividades.

Como aplicá-la nas empresas para gerar resultados?

A verdade é que, por mais que se reconheça sua importância, nem sempre a gestão do conhecimento recebe a abordagem adequada.

É o que acontece, por exemplo, nas empresas que permitem que apenas um colaborador retenha o conhecimento sobre uma certa operação ou tarefa.

Se ele vier a faltar, todo o negócio pode ser comprometido, justamente porque não fez o KM apropriado para evitar esse tipo de dependência.

Veja a seguir como começar a aplicá-la com medidas de controle relativamente simples.

Diagnosticar a situação do negócio

De pouca serventia terá o conhecimento adquirido se a empresa não conhece seus pontos fortes e fracos, bem como as oportunidades e ameaças que a cercam.

Sendo assim, a análise SWOT é uma maneira de identificar esses fatores para posicionar o negócio no mercado, ajudando a definir os conhecimentos de que ele necessita.

Planejar as ações

Uma vez que a empresa sabe onde e como se encontra no mercado, é hora de avançar para o planejamento que servirá de base para definir as ações em KM.

Ela pode fazer isso tomando como referência os resultados da matriz SWOT. A partir disso, torna-se possível definir que tipo de conhecimento será necessário acumular para aproveitar oportunidades e eliminar ameaças.

Alinhar a gestão por competências

Não se pode abordar a KM sem pelo menos tangenciar um outro tipo de gestão que lhe é complementar: a gestão por competências.

Nesse caso, o que está em jogo não é o corpo do conhecimento em si, mas os tipos específicos de competências necessárias para uma empresa ter sucesso. Por exemplo: uma desenvolvedora de softwares pode precisar de um desenvolvedor com competências em full-stack para explorar um certo mercado.

Que impactos a gestão do conhecimento gera?

Quanto mais o conhecimento é disseminado em uma empresa, maior será o potencial de crescimento dela.

Isso porque, como vimos, ela passa a ser menos dependente de pessoas que, porventura, monopolizem o conhecimento sobre determinada área ou atividade.

E na sua empresa, como está a gestão do conhecimento?

Gostou do post? Então, assine a newsletter da Scoreplan e receba em sua caixa de entrada conteúdos tão relevantes quanto este que você acabou de ler!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.