Custo da falta de execução: quanto custa só planejar e não colocar em prática?

Um excelente planejamento estratégico (PE) é fundamental para toda empresa. Mas ele tem custos e, por isso, deve sair do papel, ser executado. Você já parou para pensar no custo da falta de execução das estratégias empresariais?
Sobre isso vamos refletir neste artigo. Continue lendo para entender como e por que muitas empresas jogam dinheiro fora por não colocar em prática o que planejam!

O custo da falta de execução do planejamento estratégico

Muitos executivos continuam conduzindo o planejamento estratégico como algo muito abstrato. E tudo o que não é palpável tende a parecer intangível ou enganosamente pouco oneroso. Mas não é bem assim.
Existem vários custos envolvidos nos processos de criação de planos estratégicos, e eles viram despesas quando não se coloca em prática o que foi previamente pensado.
Confira, a seguir, algumas maneiras (que devem ser evitadas) de desperdiçar recursos diversos com a falta de execução do planejamento estratégico.

O tempo das pessoas é desperdiçado

Um custo da falta de execução que é pouco visualizado é o tempo que pessoas táticas e estratégicas dentro da organização desperdiçam. Elas trabalharam por horas para estudar e estruturar o PE — esse tempo é “jogado fora” quando aquilo que é planejado não é colocado em prática, e o tempo destes profissionais poderia ter sido utilizado para algo que entregasse resultados reais.
Para perceber melhor esse desperdício é interessante pensar no chamado custo de produtividade. Ou seja, a soma dos gastos envolvidos no dia a dia operacional de cada colaborador.

Projetos não previstos são criados

Se você só planeja e não coloca em prática, você gasta uma boa parte do seu dinheiro em projetos que não eram previstos, e que possível e provavelmente não eram prioridade. Quando percebe que não fez o que deveria fazer (o que havia planejado) precisa gastar novamente.
Em outras palavras, ao esquecer os planos de ação traçados durante o planejamento, é normal que as prioridades fiquem embaralhadas e que surjam urgências não previstas. E, nós sabemos, elas custam mais dinheiro, demandam mais tempo e energia da equipe.

Há perda de tempo e dinheiro apagando “incêndios”

Ao deixar a execução do planejamento estratégico de lado e seguir o controle da operação de maneira desordenada, você não avalia riscos e não analisa causa raiz dos problemas.
E isso leva ao que muitos executivos reclamam de suas rotinas: você passa muito tempo apagando “incêndios”, resolvendo problemas em vez de concentrar energias na análise e tomada de decisão inteligente. O custo da falta de execução, neste caso, se dá em “remediar” ao invés de “prevenir”.
? Leia também: 5 motivos pelos quais sua empresa vive de “apagar incêndios”!

A qualidade cai e a satisfação dos clientes também

Um outro custo que costuma ferir a saúde financeira e a imagem da empresa está relacionado à queda na qualidade. Ao não executar o planejado e agir sem estratégia, os produtos e serviços podem ter sua qualidade reduzida gradativamente, o que faz com que a satisfação dos clientes também caia.
E isso acontece por que a sua cultura de não execução dos planos de ação, aliada aos problemas recorrentes, afeta direta ou indiretamente a qualidade do seu serviço.

O crescimento do negócio fica aquém do esperado

Tudo o que já foi dito até aqui acarreta no não crescimento do negócio, ou no crescimento aquém do esperado. E isso ocorre porque se você só apaga incêndios, você só resolve problemas e não cria soluções e oportunidades — e aí você tem a sensação de que está sempre correndo atrás da máquina.
Além disso, não existe maior frustração do que, acabado o período, você olhar o que está demarcado no planejamento estratégico, em termos de resultados, e perceber que nenhum objetivo foi alcançado.

Não é possível mensurar resultados

Por fim, e não menos importante, a falta de execução incorre na impossibilidade de mensurar resultados.
Claro, se não há execução dos planos de ação, não é possível acompanhar as métricas e os indicadores traçados. Logo, também é bem difícil verificar se os resultados previstos foram atingidos.
Em resumo, custa a saúde financeira do seu negócio, a produtividade da sua equipe, a satisfação do seu cliente e o crescimento da sua empresa; são custos bastante altos que resultam da não execução do planejamento estratégico. É preciso se lembrar deles para não engavetar o PE e só se lembrar dele no final do próximo ano.

O custo da falta de execução do PE tem sido alto na sua empresa? Você já havia refletido sobre isso? Deixe seu comentário!