Guia sobre as 8 melhores ferramentas de planejamento estratégico

O caminho para o sucesso é repleto de obstáculos e desafios, exigindo que as empresas desenvolvam uma gestão eficiente e bem organizada. Nesse sentido, não só fazer planejamento estratégico como também usar as melhores ferramentas para tal, é a melhor forma de uma empresa conseguir alcançar seus objetivos no curto, médio e longo prazo.

Principalmente ao considerarmos a grande competitividade e o cenário de incertezas atual, ter um planejamento estratégico bem estruturado e apoiado é indispensável para se sobressair e manter bons resultados.

Por ser um assunto extremamente importante para gestores e empresas, entender mais sobre ele é indispensável. Foi pensando nisso que desenvolvemos este guia com as 8 melhores ferramentas de planejamento estratégico para aplicar no seu negócio e impulsionar os resultados. Confira!

Por que é importante ter um planejamento estratégico?

O planejamento estratégico contribui para elevar o desempenho da empresa e a sua capacidade de entrega de resultados. Assim, planejar é uma maneira de organizar as estratégias e evitar falhas, orientando a atuação da equipe para alcançar o sucesso.

Ter um planejamento estratégico bem elaborado auxilia no direcionamento da gestão para alcançar objetivos e metas — sobretudo para aumentar a produtividade, ter maior clareza ao prever cenários e maior embasamento nas decisões.

A partir do planejamento estratégico, os gestores podem identificar de maneira clara os possíveis caminhos para se destacar no mercado. Além disso, torna-se mais fácil conhecer os pontos fortes e fracos do negócio e, assim, direcionar os investimentos para melhorias.

O planejamento estratégico também é importante pelos seguintes motivos:

  • facilita a comunicação e o clima organizacional;
  • facilita a identificação de ameaças, riscos e oportunidades;
  • auxilia no equilíbrio e saúde financeira da empresa;
  • incentiva maior comprometimento e desempenho da equipe;
  • aumenta a satisfação dos clientes;
  • direciona os investimentos, evitando custos desnecessários.

Portanto, investir em metodologias e ferramentas de planejamento estratégico é imprescindível para atuar de forma eficiente, se antecipar às situações mercadológicas e ter respostas inteligentes e compatíveis com os objetivos e resultados esperados.

Quais são as 8 melhores ferramentas de planejamento estratégico?

Independentemente do modelo, segmento de atuação, estágio de maturidade e objetivos do negócio, utilizar ferramentas é essencial. Além de garantir maior organização, as ferramentas são importantes para evitar falhas, padronizar tarefas e otimizar o trabalho e, os resultados.

Diante disso, as ferramentas de planejamento estratégico são indispensáveis.

A seguir, conheça as principais ferramentas de planejamento estratégico para implementar no seu negócio!

1. Missão, visão e valores

O conjunto missão, visão e valores é extremamente importante para qualquer empresa, pois demonstra seu posicionamento em diversos aspectos. É possível dizer que essa é a base do planejamento estratégico, já que esses pontos direcionam as decisões e a atuação da empresa.

Sendo assim, o conceito da ferramenta segue a seguinte lógica:

  • missão: o propósito e as motivações da existência da empresa;
  • visão: aonde a empresa deseja chegar e um determinado período de tempo;
  • valores: os ideais, posicionamento ético, atitudes e crenças da empresa perante o mercado, funcionários e a sociedade.

Ao definir sua missão, visão e valores, todos os processos gerenciais e administrativos da empresa poderão ser bem direcionados pelos gestores. Assim, torna-se mais fácil motivar a equipe e, de quebra, a empresa dá o primeiro passo para atuar com um planejamento estratégico eficiente.

2. Análise SWOT

A matriz ou análise SWOT é uma das principais ferramentas de planejamento estratégico, sendo amplamente utilizada em diversas empresas. Essa é uma análise que possibilita um diagnóstico preciso, que considera cada detalhe do negócio.

A metodologia SWOT é traduzida como:

  • Strengths – Forças: levantamento dos pontos fortes da empresa;
  • Weaknesses – fraquezas: identificação dos pontos fracos e que precisam de melhorias;
  • Opportunities – oportunidades: análise das possíveis oportunidades externas para crescimento;
  • Threats – ameaças: identificação das ameaças presentes no mercado.

Nesse sentido, quando a análise SWOT é realizada em uma empresa, os gestores obtêm uma visão global de seus processos e do contexto em que estão inseridos — facilitando a definição de estratégias e objetivos.

3. Planos de ações

A melhor alternativa para ter atividades eficientes e um desempenho satisfatório é planejando cada ação com um cronograma bem definido. Nesse sentido, o plano de ação, ou plano de trabalho, é uma ferramenta simples e prática que proporciona ótimos resultados.

O plano de ação é um documento que descreve de forma clara todas as atividades para que um determinado objetivo seja atingido. Ele é utilizado para compor o planejamento estratégico, apresentando os prazos, mecanismos, recursos necessários e os responsáveis pelas tarefas.

Para elaborar planos de ação eficientes, é comum utilizar outras ferramentas de gestão, como a 5W2H. Por meio de questionamentos, a 5W2H ajuda gestores a terem uma visão abrangente sobre o objetivo e criarem o melhor plano de ação.

Sendo assim, para ter um plano de ação eficiente, basta se atentar às seguintes dicas:

  • defina os objetivos;
  • capacite a equipe;
  • defina responsáveis;
  • crie um cronograma;
  • monitore a implementação do plano;
  • conte com a tecnologia.

4. 5 Forças de Porter

As 5 Forças de Porter compõem uma metodologia de gestão indispensável para o planejamento estratégico, a qual tem o objetivo de avaliar a concorrência. A ferramenta funciona pela análise de fatores denominados como forças competitivas, para avaliar os concorrentes e gerar informações relevantes para direcionar estratégias.

De forma prática, a 5 Forças de Porter se resumem da seguinte maneira:

  • ameaça de substituição: é a probabilidade de seus clientes encontrarem substitutos para a sua empresa, seja direta ou indiretamente;
  • ameaça de nova entrada: são as novas empresas que atuam no mesmo segmento que o seu negócio e podem ocupar uma fatia do seu mercado, ou seja, podem enfraquecer a posição da sua marca nesse cenário;
  • poder de negociação do cliente: trata-se do nível de facilidade encontrado pelos clientes para negociar e reduzir preços, ou seja, o poder de barganha dos consumidores;
  • poder do fornecedor: é a ocorrência em que os fornecedores aumentam os preços e prazos, a relevância que eles têm no mercado e as alternativas para de melhores condições e qualidade;
  • rivalidade competitiva: é a análise completa e criteriosa da concorrência, incluindo quem são eles, quais são seus diferenciais, comparação entre produtos, serviços e outros aspectos referentes a concorrentes diretos e indiretos.

5. BSC

A Balanced Scorecard é uma metodologia de planejamento estratégico conceituada e muito difundida. Criada pelos professores David Norton e Robert Kaplan em 1992, a metodologia rapidamente alcançou sucesso, sendo utilizada consistentemente na gestão empresarial.

O objetivo do BSC é proporcionar uma visão balanceada de toda a empresa — considerando os objetivos estratégicos e havendo correlações de causas e efeitos entre eles.

Nesse sentido, o BSC tem a seguinte composição:

  • 4 perspectivas fixas: financeira, de clientes, de aprendizado e processos internos;
  • objetivos estratégicos para cada perspectiva: objetivos do planejamento estratégico, definidos por meio de uma análise de cenário e de visão de futuro;
  • indicadores chave de desempenho: estabelecidos para medir o andamento de cada objetivo;
  • planos de ação: estabelecidos para garantir o alcance dos objetivos.
  • mapa estratégico: representação visual, de toda esta estrutura e suas relações, criada para facilitar a organização e a gestão do planejamento.

Uma das grandes vantagens do BSC é a facilidade de entender e implementar a metodologia, e também a difusão do método; que conta com cases de sucesso em todo o mundo, em empresas de diversos portes e segmentos.

6. OKRs

Os OKRs – Objectives and Key Results, que em tradução direta significa Objetivos e resultados-Chave, é um framework (ou, metodologia) de gestão criado por Andrew S. Grove, no Vale do Silício. Trata-se de uma ferramenta gerencial com foco nos resultados que ganhou força nos últimos anos, por ter contribuído para o crescimento de empresas como o Google e a Intel.

Sendo assim, os OKRs funcionam com base em três fatores, que são:

  • objetivos: descrição detalhada e completa dos objetivos da empresa
  • resultados chave: métricas e metas estabelecidas que irão garantir o alcance dos objetivos.
  • iniciativas: as ações necessárias para que as metas e objetivos sejam atingidos.

Para ficar mais fácil de entender, vamos exemplificar:

Outro ponto importante a ser considerado, é que os KRs precisam ter um valor base, que é a situação atual daquele ponto em questão. Se pegarmos o KR2 do exemplo, antes de tudo; a empresa precisa saber quantos Cases já tem hoje e em quais segmentos, para então saber quantos e quais faltam.

Diante disso, os OKRs se destacam como uma ferramenta de gestão simples e objetiva, que pode ser aplicada em negócios de todos os portes e segmentos.

7. Análise Pestel

A análise de Pestel considera as mudanças políticas , socioeconômicas, tecnológicas e culturais que influenciam a empresa. O termo Pestel é um acrônimo para Political, Economic, Socio-Cultural, Technological, Environmental and Legal.

Dessa forma, a Pestel tem por objetivo ajudar gestores a entender melhor as mudanças no mercado e seu impacto nos negócios, visando uma tomada de decisão mais embasada e, certeira.

8. Metodologia SMART

A metodologia SMART é uma poderosa aliada da gestão e planejamento estratégico empresarial, pois ajuda a definir metas inteligentes.

Para entender melhor a metodologia, vale explicar que a sigla SMART é composta pelos seguintes termos:

  • specific – específica: as metas devem ser específicas e facilmente compreendidas por todos os envolvidos;
  • measurable – mensurável: os objetivos e metas devem ser mensuráveis de forma quantitativa;
  • attainable – alcançável: os objetivos e metas devem ser realistas e gerenciáveis, mesmo que sejam ousados;
  • relevant – relevante: é essencial que os objetivos e metas sejam relevantes para o negócio;
  • time-based – baseado no tempo: é preciso identificar um prazo específico para cada meta e objetivo definido.

Embora seja uma metodologia simples, ela é extremamente eficaz para definir metas plausíveis e evitar perder tempo com ações desnecessárias. Por isso, é essencial contar com a ferramenta SMART para estabelecer metas no planejamento estratégico.

Como o uso dessas ferramentas impacta na produtividade das empresas?

Para alcançar o sucesso, as atividades internas de uma empresa devem ser gerenciadas de forma moderna e eficiente. Nesse sentido, utilizar metodologias e ferramentas de gestão é a melhor alternativa para alinhar e controlar os processos, evitando falhas e prejuízos.

Além disso, as metodologias de gestão são fundamentais para padronizar tarefas e elevar a produtividade das equipes de trabalho — uma forma de capacitação que permite aos funcionários compreender a melhor forma de executar suas funções, de acordo com os objetivos da empresa.

Sendo assim, as ferramentas gerenciais contribuem de forma expressiva para elevar a produtividade sem comprometer a qualidade dos serviços — ou seja, é uma maneira de produzir otimizando o tempo e criando soluções de qualidade, capazes de elevar a experiência dos consumidores.

Quem deseja ter facilidade e eficiência para implementar ferramentas de gestão deve ter a tecnologia como principal aliada. Com recursos tecnológicos, como um software, os benefícios são notáveis, pois eles facilitam a implementação das metodologias, centralizam informações e favorecem uma análise de indicadores eficaz.

Para tanto, o Scoreplan é ideal para modernizar a sua empresa e facilitar a utilização de diversas ferramentas de gestão para o planejamento estratégico. Isso porque a plataforma Scoreplan:

  • permite a medição e o acompanhamento de indicadores, garantindo confiabilidade nas informações e agilidade na entrega dos resultados para análise;
  • ajuda a estruturas planos de ação com 5W2H e alertas automáticos que não deixam os profissionais esquecerem-se de suas responsabilidades e respectivos prazos e impactos;
  • permite a criação e o acompanhamento de todo o planejamento estratégico, seja através da metodologia de BSC ou outra;
  • facilita a gestão de auditorias e ocorrências;
  • promove a gestão de projetos e vincula ou não, tais projetos, ao planejamento estratégico;
  • permite a gestão financeira e estratégica do negócio;
  • possibilita a gestão de riscos;
  • facilita o acompanhamento dos OKRs e muito mais!

Essas são possibilidades extremamente valiosas para facilitar o desenvolvimento do planejamento estratégico empresarial e seus resultados, com recursos intuitivos e que permitem o gerenciamento total da estratégia.

Como você pode notar, as ferramentas de planejamento estratégico são diversas e têm a capacidade de impulsionar os resultados do negócio. Portanto, não deixe de aperfeiçoar a gestão da sua empresa para sair na frente da concorrência e atingir o sucesso.

Gostou do post? Caso queira saber como otimizar o seu planejamento estratégico, entre em contato conosco e peça uma demonstração.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.