controladoria estratégica

Controladoria Estratégica: o que é e como desenvolver na empresa

A controladoria estratégica ajuda a gestão de uma empresa a manter “um olho no peixe e o outro no gato”.

Em termos de operação, é muito difícil para as lideranças focarem no dia a dia e, ao mesmo tempo, contemplar riscos, oportunidades e realizar os diversos tipos de controle.

Seria como um piloto de Fórmula 1 que, enquanto precisa guiar o carro e ultrapassar seus competidores, precisa também ficar atento ao estado do veículo para continuar a competir.

Por isso, existem diversas funções desempenhadas por esse importante setor que precisam ser conhecidas.

Avance na leitura e descubra como fazer da controladoria um verdadeiro braço direito em seus processos estratégicos de negócio.

Afinal, o que é controladoria estratégica e qual sua finalidade?

Há quem pense que a controladoria estratégica se baseia na utilização de informações financeiras para apoiar a gestão em suas decisões e nada mais.

Embora em um passado não muito distante isso até acontecesse, hoje o que se observa é que a controladoria tem um papel muito mais abrangente.

Além das informações financeiras, ela também utiliza dados contábeis, administrativos e o próprio planejamento estratégico para balizar gestores e líderes.

Lembre da comparação com o piloto de Fórmula 1 que, enquanto dirige, precisa acompanhar o estado do carro, seus níveis de óleo, combustível, entre outros aspectos.

Pois, a controladoria estratégica é quem vai municiar o “piloto” com esses dados e, além disso, dar sugestões sobre o que fazer a partir disso.

Controladoria estratégica e operacional: quais as diferenças?

De certa forma, a controladoria estratégica é a evolução da antiga controladoria.

Durante muito tempo, a função da controladoria era tão somente organizar e combinar os dados contábeis. Outra atividade, estava relacionada a fiscalização quanto a consistência dos dados.

Contudo, essa função estritamente operacional, passou a não suprir mais as necessidades das empresas e, as expectativas dos profissionais da área que objetivavam mais de suas funções.

Nasceu então, a ideia de uma  controladoria mais estratégica que, diferentemente da operacional, não só compila e audita dados ou faz fechamentos, mas provê a alta gestão com informações que geram insights e soluções reais, a partir da automatização de atividades repetitivas e manuais e do espaço para uma visão mais analítica e tática.

Qual a relação entre controladoria e planejamento estratégico?

A controladoria estratégica aplicada aos negócios tem, naturalmente, uma relação de causa e efeito com o planejamento estratégico.

Portanto, ao fazer o planejamento, a empresa precisará de meios para manter para garantir alinhamento e coerência perenes entre objetivos, planos e recursos. A controladoria, vem a ser o setor mais qualificado para isso.

Isso porque, sem um mínimo de controle, não é possível saber se o que foi planejado está de fato sendo cumprido, tampouco fazer ajustes de rota, caso necessário.

Que níveis estratégicos ela precisa considerar?

Colocando uma lupa sobre a controladoria estratégica e suas atribuições mais específicas, podemos entender melhor de onde ela parte para realizar suas funções.

Nesse caso, todo controller estratégico precisará levar em conta três esferas de atuação, de maneira a prover os responsáveis de cada área e a gestão com informação adequada.

A controladoria estratégica é, nesse sentido, uma espécie de “setor misto”, no qual coexistem rotinas, ferramentas e técnicas contábeis e de gestão. Veja a seguir como cada uma delas se coordena nesse “bolo”.

Planejamento

No nível da estratégia competitiva, uma empresa está constantemente sendo desafiada a tomar decisões sobre seu futuro.

Para isso, ela precisa considerar o seu panorama interno, especialmente em relação aos seus centros de custos, lucratividade, capacidade de gerar receitas e possíveis aquisições.

Cabe à controladoria consolidar esses dados de maneira que eles expressem a real situação de uma empresa, a fim de que ela possa saber para onde pode seguir ou não.

Controle

Vimos anteriormente que a controladoria estratégica é como se fosse um co-piloto.

Assim sendo, em seus processos, ela deve também analisar cada setor da empresa, de maneira que cada um deles cumpra seu papel para fazer o “motor” funcionar.

Com isso, ela apoia no desenvolvimento de estratégias para cada área, de forma que consiga posteriormente avaliar o grau de sucesso em relação aos resultados conquistados.

É o que ela faz, por exemplo, quando auxilia no acompanhamento do ciclo de vida de produtos desde o seu lançamento.

Risco

Sendo responsável por exercer o controle sobre áreas estratégicas, a controladoria também é pautada em suas decisões pelos riscos que os resultados e as operações venham a evidenciar.

Nessa esfera de atuação, ela lança o seu olhar para fora, mirando nos concorrentes, no mercado, governo e todos os possíveis stakeholders.

Dessa forma, a controladoria estratégica torna-se um suporte para a tomada de decisão, já que é ela quem detém informações cruciais e que podem definir o futuro de um negócio.

Como é a rotina de uma controladoria estratégica?

A propósito, a CE funciona a partir de conceitos e práticas similares aos dos melhores setores de Business Intelligence (BI), com técnicas e práticas ligadas à gestão de dados.

Isso porque o que ela faz, basicamente, é traçar um panorama de uma empresa, identificando onde ela está, como está e onde pode chegar.

Para isso, ela se vale de dados contábeis, financeiros, fiscais e administrativos para definir estratégias que serão posteriormente acompanhadas.

Por essa razão, algumas ferramentas de uso frequente entre especialistas em controladoria são:

  • Custeio ABC
  • Sistema de Gestão Orçamentária
  • Business Intelligence (BI)
  • Cadeia de valor
  • Balanced Scorecard (BSC)

Quais os benefícios ela traz?

Sendo um braço direito para garantir a governança corporativa e o cumprimento das estratégias de negócio, a controladoria é fundamental para o sucesso da empresa.

Nenhuma empresa se destaca no mercado sem esse tipo de controle e, nesse aspecto, ter o suporte dessa especialidade traz benefícios imediatos e no longo prazo. Confira a seguir.

Redução de riscos

Atuar em um mercado competitivo é assumir riscos. Por outro lado, isso deve ser feito de maneira calculada. Portanto, ao analisar os diferentes tipos de risco, a controladoria estratégica pode ser o “fiel da balança” a favor do seu negócio.

Eficiência operacional

Há casos em que as falhas operacionais decorrem mais de problemas no nível estratégico e do processo de tomada de decisão. A CE ajuda a identificar onde estão essas falhas, ajudando as empresas a alcançar a excelência em suas atividades.

Apoio no processo decisório

Ao manter o controle sobre diferentes aspectos de um negócio, os dados e insights gerados pelos relatórios da controladoria estratégica valem ouro para quem precisa tomar decisões.

Portanto, se a sua empresa ainda não conta com o suporte desse importante setor, avalie desde já a possibilidade de incorporá-lo às suas rotinas.

Quer entender melhor como transformar seu setor de controladoria em, uma controladoria estratégica? Durante o Rota 22, nosso evento sobre Planejamento Empresarial para 2022, conversarmos com a Gisele Sartori – Controller do Grupo Bertolini, que é cliente Scoreplan desde 2020, confere.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.