Sua empresa está preparada para a cultura data driven?

O mercado hoje demanda que as empresas sejam mais orientadas por dados em virtude da transformação digital. A cultura data driven, nesse aspecto, é a forma com que organizações de diversos portes podem responder a essa nova maneira de se trabalhar.

Isso porque a produção de dados e o fluxo de informação cresce em escala exponencial. Tanto é que, segundo a IBM, 90% dos dados que circulam hoje no mundo foram gerados há apenas dois anos.

Como lidar, então, com essa avalanche de informação e de que forma isso pode ser revertido a favor do seu negócio? Pretendemos responder a essa e outras dúvidas neste artigo que você começa a ler agora, por isso, acompanhe com essa mesma atenção até o fim.

O que significa a cultura data driven?

Cultura data driven serve para designar as empresas nas quais as decisões, tanto estratégicas quanto operacionais, são orientadas por dados. Portanto, nesse tipo de organização não há muito espaço para improviso, embora essa seja uma capacidade até bem-vinda em determinadas circunstâncias. De qualquer forma, o que se deve entender é que todas ações e estratégias deverão, prioritariamente, ser definidas a partir de informação.

Assim sendo, uma empresa que utiliza dados em seus processos decisórios será muito mais capaz de antecipar problemas e, dessa forma, diminuir seus impactos ou até mesmo invalidá-los. Em outras palavras: com a cultura data driven prevalecendo, o negócio ganha em inteligência, passando a ser mais proativo e menos reativo.

Como saber se a empresa está preparada?

Um bom meio de saber se a empresa está pronta para assimilar uma cultura orientada por dados é conhecer o seu nível de digitalização. Para isso, vale consultar o Índice de Maturidade Digital da McKinsey 2018, no qual estão elencadas as dimensões mais relevantes nesse aspecto.

Feito isso, é hora de dar os primeiros passos em direção à sua implementação, que deverá preferencialmente ser feita a partir do seu setor de TI. Na falta de um, é indicado buscar por especialistas em soluções tecnológicas que possam apoiar ao longo do processo.

Por onde começar a implementá-la?

Uma empresa data driven tem uma característica essencial: seus sistemas são sempre integrados por meio de um ERP. Esse sistema, por sua vez, tornará a organização apta a coletar dados de múltiplas fontes, organizando-os e formando relatórios com dados inteligíveis.

Outro passo fundamental é investir em capacitação, afinal, sem pessoas não se muda uma cultura. Para orientar nessa parte, é válida a contratação de um Chief Data Officer (CDO). Na falta de um, procure por um especialista que tenha alguma experiência em gestão de equipes e que tenha afinidade com a tecnologia.

Que benefícios sua adoção traz para o negócio?

Uma vez que a empresa adote uma postura voltada para a análise e interpretação de dados, estará pronta para ter mais segurança nas decisões, agilidade e aumento de produtividade. Contudo, a tarefa não termina com a obtenção desses resultados.

Aderir à cultura data driven é parte de uma mudança muito mais profunda. Ainda assim, é um daqueles sacrifícios válidos, tendo em vista o enorme potencial de sucesso que a gestão orientada por dados apresenta. Aposte nessa ideia!

Então, curtiu o artigo? Compartilha aí nas suas redes sociais e espalhe informação útil!