Problemas inesperados costumam acabar com o planejamento do seu negócio?

O mais perfeito plano de ação pode ser interrompido por problemas inesperados que surgem na dinâmica do dia a dia operacional. Isso é comum em muitos negócios, especialmente quando os desafios não são previstos ou são subestimados.

Pensando nisso, resolvemos trazer uma reflexão a respeito desse assunto. A ideia aqui é ajudá-lo a garantir que seus planos de ação não serão derrubados no meio do caminho. Continue lendo para entender!

Os problemas inesperados e a cultura dos “apagadores de incêndio”

A resolução de problemas inesperados nas empresas deve estar calcada na antecipação. Afinal, eles sempre vão existir, mas não significa que não podem ser previstos, sobretudo aqueles aos quais o core business está mais sujeito.

Por isso, é fundamental criar uma cultura de planejamento estratégico e diagnóstico empresarial no qual a proatividade esteja presente. Assim, é possível antever os riscos e trabalhar antecipadamente, antes que eles se tornem problemas reais.

A proatividade na resolução de problemas empresariais perpassa atitudes como clareza na proposta de valor, comunicação dessa proposta a todos os envolvidos (colaboradores e parceiros de negócio), conhecimento profundo do mercado no qual a empresa atua, análise e revisão constante dos processos, entre outras.

Quando isso não é realizado, é normal que o negócio gere uma cultura interna de “apagar incêndios”, ou seja, uma rotina de resolução de problemas depois que eles já estão instalados e gerando danos.

Principais problemas que acabam com o planejamento estratégico

Confira, a seguir, quais são os problemas que mais prejudicam o planejamento estratégico e impedem que o negócio avance — e por que costumam acontecer.

Queda na produtividade

A redução da força produtiva só é percebida quando a produtividade é um indicador que é medido com frequência. Contudo, mesmo nas empresas que não fazem esse acompanhamento contínuo, há momentos em que uma queda brusca é percebida.

E esse é um dos principais problemas que fazem com que o planejamento estratégico seja deixado de lado, afinal, é preciso retomar a escala de produção para que o negócio não entre em prejuízo.

Insatisfação dos clientes

Também o aumento de registros de reclamação dos consumidores é um problema inesperado. Em alguns empreendimentos, esse indicador só vem à tona quando é realizada uma pesquisa de satisfação.

Na pressa de reformular os processos de atendimento, pós-vendas e outras rotinas relacionadas ao relacionamento com os clientes, os gestores acabam deixando seus planos de ação de lado.

Aumento da rotatividade de colaboradores

Mesmo em uma economia com crescimento tímido como é a brasileira nos últimos anos, algumas organizações enfrentam dificuldades para atrair e reter talentos. Em alguns períodos, parece que o mercado resolve realmente “roubar” os melhores profissionais.

Esse pode ser um problema inesperado, sobretudo quando a gestão de pessoas não trabalha preventivamente para não evitá-lo. E ele também costuma fazer com o planejamento estratégico, os planos de ação e alguns projetos sejam prejudicados, deixados de lado até a conformação de uma equipa mais coesa — com todo o processo de recrutamento e seleção e o treinamento necessário para que os profissionais se ajustem ao negócio.

Essa situação costuma influenciar negativamente inclusive na lucratividade do negócio, pois nos períodos em que não há equipe suficiente (ou que novos colaboradores ainda estão aprendendo os processos) é preciso gastar com horas extras, por exemplo.

Inovação da concorrência

Por fim, um dos problemas inesperados que mais afligem os gestores empresariais é o surgimento de produtos e serviços inovadores na concorrência. A dinamicidade do mercado atual faz com que o mais sólido dos negócios se veja desafiado com as novidades introduzidas pelos concorrentes.

Quando surgem essas disrupções, tudo o que foi planejado precisa ser no mínimo revisto, uma vez que é preciso pensar e estruturar “contra-ataques” para evitar a queda no faturamento.

Enfim, poderíamos seguir em uma lista ainda maior de problemas inesperados que podem acabar com o planejamento da sua empresa. No entanto, a ideia aqui é ajudá-lo a refletir sobre quais percalços podem colocar o seu negócio em risco, e como você pode trabalhar antecipadamente para evitá-los.

O que você achou da reflexão que trouxemos? Leia agora: 5 motivos pelos quais a sua empresa vive de “apagar incêndios”!